Noel Marinho

About

Who we are

Architect Noel Marinho, born in 1927, was definitely committed to the heyday of modern Brazilian architecture, from the mid-1950s on. He has always had art and design as parallel activities, besides a special interest in integrating tiles and mosaic (striking semiotic characters of Brazilian Architecture) with the aesthetic spaces of his work.

In 2012, architect Patricia Marinho, his daughter and his partner since 1985, proposed to reinvigorate Noels muralist work and began organizing and classifying his drawings archived for years, encouraging her father to go on with his artwork .

With the initial objective of divulging, promoting and executing the tile compositions elaborated over several decades, the Noel Marinho brand was conceived in 2015, in partnership with Manuèle Colas.

Noel, with his unique and unprecedent ideas, was a key player in choosing the element that identifies “NOEL – Noel Marinho” brand. Conceived in the 60s, it also came to start off the tile collections.

In addition to reissuing collections from the 60s and 70s, many elements generated in the last 10 years were incorporated to them expanding Noel´s design creation. Since the beginning, art consultant Heloisa Amaral Peixoto, from HAP11, has been the art curator of Noel Marinho brand.

Although Noel is no longer with us, as he died in 2018, at 90, he has actively participated in the edition of the book released in late 2019, which illustrates the work of a lifetime.

The unpublished collection he left will allow to perpetuate his art and legacy.

THE PROJECT: Noel Marinho Design Studio

Noel Marinho Project aims to resume and organize the work of the architect and designer, aiming to produce art objects and promote his diverse line of creations.

Following in Noel´s steps, Design Studio Noel Marinho presents current and contemporary collections which bring other aspects of his work: from colors and shapes, in a conjunction of countless experiments and sketches by Noel, including paintings, collages and drawings, we come up with carpets, furniture and objects that complement environments or translate into remarkable and singular, fundamental pieces.

Noel is present in all the pieces, even in the color palette, and in the shades with which he identified himself and which translate his art.

Linha do tempo

1927

Nasce no Rio de Janeiro Victor Noel Saldanha Marinho em 27/09. Passa infância e adolescência entre os bairros cariocas da Urca, Botafogo e Copacabana. Desde muito jovem mostra excepcional habilidade para o desenho, o que o levou à escolha natural da arquitetura como profissão.

1947

Ingressa no curso de Arquitetura na Universidade do Brasil – UNB.

Estagia com o arquiteto Olavo Redig do Campo, no projeto da casa de Walter Moreira Salles, e com o arquiteto Lucio Costa, no IPHAN – Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional.

1952

Graduado, em 1952, inicia sua trajetória profissional ao embarcar com dois amigos para um período de estudos de 2 anos na Europa, um deles trabalhando como arquiteto em Estocolmo, Suécia.

1953

Da Suécia, os 3 colegas percorrem a Europa de bicicleta; Noel participa do IX Congresso de Arquitetura Moderna, o CIAM, em Aix-en-Provence, na França, assistindo aos cursos de Le Corbusier e de Walter Gropius. A viagem é concluída em Veneza, no curso de verão da escola do CIAM com os famosos arquitetos Ernesto Rogers e Franco Albini.

1954

De volta ao Brasil, Noel integra a equipe do arquiteto Lucio Costa no IPHAN, ao lado do amigo e colega Mauricio Dias, contexto em que elaboraram o projeto do acréscimo do Museu das Missões, no Rio Grande do Sul. A vivência, a paixão e o encantamento com os azulejos e mosaicos nascem nesse período.

1957

Noel é chamado para integrar a equipe dos arquitetos Oscar Niemeyer e Lucio Costa, vencedor do concurso nacional para a nova capital, Brasília, convite que sempre destacou como uma de suas mais expressivas experiências.

1957

No mesmo ano, a pedido do arquiteto e amigo Elias Kaufman, Noel cria a fachada de azulejos para o edifício na rua Aníbal de Mendonça 56, em Ipanema, Rio de Janeiro.

Década de 1960

Com o término do compromisso de trabalho na Novacap, Brasília, Noel, decide partir para uma nova empreitada e criar o próprio escritório.

1962

Em 1962, Noel cria o azulejo N01 a ser usado no seu projeto em parceria com Octávio de Moraes da boate Caniço, na Barra da Tijuca, Rio de Janeiro, que hoje não existe mais.

1964

Da prancheta de Noel, em sociedade com os amigos de faculdade Mauricio Dias e Salomão Tandeta saíram vários projetos, como o Museu Paranaense e para numerosas escolas profissionalizantes do Senac – Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial, como a de Florianópolis, o projeto-piloto.

Durante essa década e a seguinte Noel desenhou uma série de móveis. A cadeira é um exemplo da sua versatilidade

1966

Após a morte prematura de Maurício, surge a sociedade com Octávio de Moraes. Foi uma colaboração de quatro décadas com o Senac.

1971

Noel segue projetando escolas para o Senac em seu escritório, agora com a colaboração do sobrinho, o arquiteto Luiz Marinho. Braço direito de Noel e Octávio, Luiz deixa a sociedade em 2001 para abrir o próprio espaço.

1975 – 78

A convite da Secretária de Estado de Educação e Cultura do Rio de Janeiro, professora Myrthes Wenzel, Noel, como assessor de arquitetura, realizou vários projetos na área, inclusive de recuperação da rede escolar e de monumentos arquitetônicos.

1976

Início do plano de projetos direcionados para a área de hotelaria e turismo do Senac. O hotel-escola Senac-Ilha do Boi, ES, inaugurado em 1979, é dos mais importantes.

 

Década de 1980 a 90

Ao longo da década, Noel se lança à realização do projeto de escolas móveis do Senac, com objetivo de levar o ensino profissionalizante ao interior do país. Sua arquitetura e interesse permanente pela ergonomia demonstraram que a área interna de uma carreta, trem ou balsa poderia se tornar espaços de múltiplas atividades.

2004

É inaugurado o Complexo Administrativo Senac, em um terreno de aproximadamente 90.000m² com 35.000m² de área construída, na Barra da Tijuca, Rio de Janeiro.

2006

Inaugurado o Museu da Gastronomia Baiana, em pleno Pelourinho, Salvador, ao qual Noel esteve ligado desde os anos 1970. O espaço que estava desativado desde então foi reestruturado para receber esse projeto pioneiro no Brasil.

Nessas décadas, Noel elabora projetos de várias residências, sempre preocupado em integrar a construção ao entorno, e se dedica a pintura e colagens. Desde 2006, ele volta às criações de seus azulejos.

2012

A partir de 2012, Patricia Marinho, sua filha e sócia, decide organizar o seu acervo.

2015

A marca Noel Marinho é idealizada em sociedade com Manuèle Colas e curadoria da consultora de arte de Heloisa Amaral Peixoto, da HAP 11.

2017

A diversidade das criações já se desdobrava em várias peças de design. Surge o novo braço do projeto: O Estúdio Design Noel Marinho.

2018

Os anos seguintes, de intensa produção, foram dedicados exclusivamente ao design. O último trabalho de Noel, o biombo foi o suporte para apresentação de sua matriz N.02, uma variação da matriz N. 01, de 1962.

2019

Lançamento do livro “O uso imaginoso de azulejos” pela Editora Olhares.